Consumidor 3.0: entenda o perfil do consumidor atual e como atendê-lo

Se antes eram as empresas que ditavam os gostos, preferências e novas aquisições dos consumidores, este cenário agora está muito diferente. Não são mais os clientes que vão até as marcas, mas elas que precisam vencer a concorrência e conquistar o novo perfil de clientela, o consumidor 3.0.

O surgimento e a popularização de tecnologias, sobretudo a Internet, contribuíram para a formação de um consumidor mais exigente e conectado.

As redes sociais, por sua vez, se tornaram verdadeiros canais de atendimento e relacionamento entre marcas e clientes. O posicionamento apresentado pelas marcas neste ambiente é vital para a experiência do cliente.

Para se ter uma ideia, pesquisas indicam que 79% dos usuários de smartphones os usam para auxiliar em compras e 70% usam o telefone em lojas físicas.

A familiaridade com o ambiente online faz com que a concorrência se torne ainda mais acirrada para as empresas, pois este é um meio capaz de conectar um consumidor a oportunidades de negócios de diferente lugares.

Esse novo comportamento dos consumidores exige que as marcas repensem e reestruturem as estratégias de relacionamento com o cliente, para proporcionar um atendimento mais ágil e integrado.

Se você deseja amplificar as oportunidades de negócio da sua empresa, é essencial conhecer o perfil do consumidor 3.0. Pronto para potencializar o atendimento ao clientedo seu negócio? Continue a leitura!

Por dentro da evolução: o consumidor 1.0, 2.0 e 3.0

Um dos grandes nomes e estudiosos do Marketing, Philip Kotler, apresentou em sua obra mais recente, intitulada Marketing 3.0, três cenários históricos vivenciados pelo marketing:

  • Marketing 1.0, cujo foco das ações era o produto;
  • Marketing 2.0, no qual o foco era direcionado para o consumidor;
  • Marketing 3.0, um cenário no qual o foco continua sendo o consumidor, porém as ações são dotadas de aspectos humanizados e responsabilidade corporativa.

O cenário do Marketing 3.0 é o atual, como explica Kotler: “Hoje estamos testemunhando a era voltada para os valores. Em vez de tratar as pessoas simplesmente como consumidoras, os profissionais de marketing as tratam como seres humanos plenos: com mente, coração e espírito. Cada vez mais, os consumidores estão em busca de soluções para satisfazer o seu anseio de transformar o mundo globalizado num mundo melhor.”

A partir do conhecimento das três eras vivenciadas pelo marketing, é possível entender as transformações ocorridas no perfil dos consumidores.

O consumidor 1.0 surgiu nos anos em que a Internet ainda se formava. Você consegue se lembrar do terror da Internet discada? Era este o cenário disponível.

Com a popularização da banda larga e de buscadores como o Google, os consumidores puderam ter contato com sites promocionais sem interação, quase como uma lista telefônica facilitada.

Era uma época que o poder do consumo ainda estava nas mãos das empresas. Se os usuários precisassem de produtos e serviços, procurariam essas páginas amarelas digitais, descobririam endereços e telefones e fariam a compra.

Já o consumidor 2.0 viu na Internet uma possibilidade de escolha das compras, para encontrar melhor preço, a melhor qualidade e o melhor atendimento.

No entanto, este perfil dependia de encontrar uma empresa e ir até ela, mesmo com o leque de opções amplo, incluindo a possibilidade de comprar diretamente na Internet.

O consumidor 3.0, por sua vez, é nativo da Internet e está conectado. Recebe ofertas a todo momento, dialoga com as marcas e coloca suas preferências acima de tudo.

Os consumidores não vão simplesmente atrás das empresas para fazer negócios. São as empresas que precisam encontrar os consumidores e engajá-los com eficiência, já que estão imersos em um universo digital hiperconectado e empoderados por informação, possibilidades de escolha e um comportamento imediatista destacado.

Em suma, é possível resumir o comportamento dos três consumidores em:

  • Consumidor 1.0: procura a empresa, usando a Internet somente como apoio para buscas;
  • Consumidor 2.0: ele ganha mais poder de informação e a usa ao seu favor, ampliando suas opções de compra;
  • Consumidor 3.0: além do acesso a mais informações, o consumidor pode compartilhar suas opiniões com outros usuários da rede. As empresas é que vão atrás deste consumidor.

Quais aspectos definem o consumidor 3.0?

Você já entende o comportamento básico do consumidor 3.0, mas ainda há uma série de características nesse perfil que a sua empresa precisa conhecer e dominar.

O perfil do consumidor 3.0 não é definido por faixa etária, renda ou gênero, mas sim por 7 características básicas que compõem a personalidade deste nativo digital. Confira!

1. Altamente informado

Habitante da Era da Informação, o consumidor 3.0 sabe de tudo!

A ascensão dos smartphones apurou ainda mais o conhecimento dos consumidores, uma vez que possibilita a velocidade nas pesquisas e permite que ele faça comparativos em tempo real na hora que for comprar.

Segundo dados da McKinsey, 30% dos atendimentos em 2015 foram realizados por meios digitais: chat online, mídias sociais e email.

2. Socialmente conectado

O Facebook, considerado como a maior rede social do mundo, registrou 1,95 bilhões de usuários no primeiro trimestre de 2017. O consumidor 3.0 é componente dessa estatística.

O consumidor 3.0 é ultraconectado e expõe suas impressões. As redes sociais se tornaram um espaço aberto para divulgação de insatisfações, reclamações e análises de atendimentos ruins, que tem o poder de alcançar outras pessoas rapidamente.

3. Sensível a preços

Vivemos um cenário de modelos de promoções recorrentes, descontos sazonais e facilitação do processo de compra.

Dessa forma, marcas que tentam se beneficiar na precificação correm o risco de afastar o consumidor 3.0, que dá atenção também ao bolso na hora de comprar.

Para se ter uma ideia, um cliente é 4 vezes mais propenso a comprar de um concorrente se o problema é relacionado a atendimento do que a preço ou produto.

O nome da marca, sem agregar nenhum valor adicional e com preços pouco competitivos não é suficiente para conquistar a preferência o consumidor 3.0.

4. Confia na opinião de outros usuários

A popularização das redes sociais também facilitou o colaborativismo entre consumidores. Grande parte utilizam essas mídias para ouvir e compartilhar experiências pessoais com as marcas.

Estima-se que, após uma experiência negativa, 26% dos consumidores postam um comentário negativo em redes sociais como Facebook ou Twitter.

A opinião social, proveniente de consumidores em posição semelhante, é extremamente importante para o consumidor 3.0. Ele valoriza a experiência dos demais acima da publicidade veiculada pelas marcas.

De acordo com a American Express, 95% dos consumidores mencionam experiências negativas de vez em quando e 60% falam disso o tempo todo, em média para 21 pessoas.

5. Autopromoção

As redes sociais, muitas vezes, assumem o papel de “vitrines da felicidade”. Essas redes estão povoadas de usuários comemorando suas aquisições, conquistas pessoais e profissionais.

Atualizações de status, compartilhamento de fotos e vídeos são armas poderosas para o consumidor 3.0 se promover.

Você sabia que o Facebook registra mais de 2,5 bilhões de compartilhamentos de conteúdo por dia? Impressionante, né?

6. Procura por gratificação instantânea

Mais do que nunca, o consumidor 3.0 não tem paciência e nem deseja esperar por muito tempo para ter suas necessidades atendidas.

Eles esperam que produtos e serviços sejam entregues em qualquer lugar, no tempo certo e que melhor se encaixem nos seus desejos.

A digitalização de produtos – desde passagens de avião, passando por música e livros – tem um forte apelo e fortalece a necessidade de uma satisfação imediata.

Segundo dados da Accenture, 51% dos consumidores dizem que permaneceriam comprando se a empresa simplesmente os reconhecesse e oferecesse uma gratificação pelo seu negócio.

7. Inconscientemente seguro

Nos primórdios da Internet, era comum a existência de um medo generalizado acerca da segurança das compras online.

Já as novas gerações demonstram certa apatia a respeito da segurança na Internet. Este é um meio já integrado na vida do consumidor 3.0.

Eles mesmos têm publicado nas redes sociais um volume absurdo de informações pessoais por vontade própria, tornando-as disponíveis para qualquer um com acesso a uma conexão digital.

Os novos usuários não estão só mais confiantes nas próprias redes, mas em suas próprias habilidades ao navegar em ambientes de risco, como bancos e transações online.

201917Jun_deskmanager-cta-blog-v2-2

Como atender bem o consumidor 3.0?

Consciente do perfil e das particularidades do consumidor 3.0, as empresas precisam agir com veracidade e empatia para conquistá-los. A luta é grande e, aquelas que prezam pelo sucesso do cliente é que vencem!

Separamos algumas dicas e comportamentos indispensáveis para atender bem o consumidor 3.0. Veja!

Amplie os canais de autoatendimento

O consumidor 3.0 é proativo e tem muita autonomia na resolução de problemas. Por isso, não hesitará em buscar informações e sanar suas dúvidas por conta própria.

Muitas vezes, dúvidas simples dos consumidores vão parar na central telefônica, aumentando o tempo médio de atendimento e gerando mais custos. Por isso é vital adotar canais de autoatendimento!

O autoatendimento pode ir desde demandas simples como acesso a guias práticos de resolver problemas comuns ou até ferramentas online que solucionam outras demandas, como acompanhamento de pedidos, troca de produtos, alteração de pagamento etc.

Implemente o atendimento omnichannel

O consumidor 3.0 está ligado, sobretudo, nos canais online. Ele quer ser atendido com agilidade e eficiência seja lá qual for o canal escolhido.

Dessa forma, seu negócio precisa estar disponível nos mais diferentes veículos: telefone, site, redes sociais, help desk, chat online e outros.

Para cada canal, é essencial ter uma equipe responsável para solucionar as solicitações dos clientes rapidamente e jamais deixá-los sem resposta.

Quando sua empresa adota um sistema de atendimento omnichannel, os operadores têm, em um único suporte, múltiplos canais de atendimento.

O atendimento torna-se mais rápido, assertivo e eficiente quando os canais de comunicação estão integrados em uma única interface.

Assim, um único profissional é capaz de atender solicitações de diferentes canais em uma única plataforma.

Com os canais integrados, o cliente pode começar uma conversa por chat e terminar por telefone, utilizando o mesmo protocolo, sem precisar repetir toda a história.

Faça um mapeamento de comportamento

O consumidor 3.0 não quer se enxergar como parte de uma massa social, mas sim receber atendimento personalizado e direcionado para os seus anseios e desejos individuais.

Dê fim às generalizações. Seu público não é uma faixa etária, um gênero ou uma classe social, mas sim formado por pessoas únicas, comprando da sua empresa com um propósito.

Conheça o seu consumidor:

  • Crie planos de ação específicos para cada consumidor individualmente ou grupos de consumidores que apresentem a mesma demanda;
  • Faça chamadas ativas para ouvir o que os clientes têm a falar sobre a empresa;
  • Desenvolva programas de relacionamento por grupos de diferentes demandas em comum. Você vai conseguir enxergar problemas maiores de maneira mais ampla, podendo resolvê-los com mais assertividade;
  • Alimente o setor de Customer Success da empresa com as informações que extrair de seus consumidores únicos, a fim de tornar o atendimento mais humanizado.

Antecipe as soluções

Oferecer um bom atendimento ao consumidor 3.0 é saber antecipar-se aos problemas e as demandas mais simples.

Se descobrir um problema fora do comum com algum cliente, entre em contato resolva-o antes que ele acione seu SAC.

Antecipar soluções ajuda na construção de uma boa imagem da marca e também na garantia de sucesso do cliente com o produto adquirido ou o serviço contratado.

Mantenha um bom relacionamento

O modelo de atendimento pautado em scripts, suporte e falas automáticas está fadado ao fracasso!

Quando o consumidor 3.0 precisa conversar com um agente, seja por telefone, email, chat ou redes sociais, ele deseja obter uma experiência de relacionamento.

É fundamental sentir que há contato humano, empatia e cuidado no diálogo. O consumidor 3.0 precisa precisa de atenção, carinho e responsividade nos momentos certos, naqueles em que ele realmente necessita acionar o SAC.

O relacionamento com o cliente é uma jornada que exige atenção total da sua equipe! Atender bem e cuidadosamente o consumidor 3.0 irá gerar credibilidade para a empresa e, é claro, bons lucros.

Como você pode notar, um bom atendimento é peça fundamental na construção da satisfação do consumidor 3.0. Por isso, invista em um bom time de atendentes. Baixe gratuitamente o guia completo para gerenciar equipes de atendimento e aprenda muito sobre o assunto!

CTA-DM-2-6

Posts relacionados

Um Sistema Help Desk é útil para eliminar processos manuais em relação..
Se sua empresa está precisando de um sistema de help desk, não..

Mais lidos

Companhia amplia universo de usuários finais para reunir seus clientes numa mesma plataforma de gerenciamento...

Gestores dos mais diversos segmentos concordam sobre a grande importância do planejamento estratégico para alcançar..

O marketing de relacionamento é uma estratégia poderosa para empresas (tanto pequenas, como grandes) que..

Receba nossa newsletter

Tenha acesso a conteúdos de valor sobre atendimento, sucesso do cliente, tecnologia e muito mais.

Você está pronto para uma jornada de sucesso?

Peça uma demonstração gratuita e conheça a Desk Manager, uma plataforma que proporciona uma experiência completa com sistema help desk e service desk.
plugins premium WordPress